A comemoração do centésimo dia letivo, mais conhecido como “100th Day of School” é um momento bastante esperado pelos alunos do ensino bilíngue

Além do bilinguismo proporcionar o domínio de uma segunda língua, possibilita também o conhecimento de outras culturas. Dessa forma, com o objetivo de ensinar que os habitantes de outros países não apenas falam uma língua diferente, mas também possuem outros hábitos e valores, as turmas comemoram datas bastante conhecidas em outros locais: Valentines’s Day, Saint Patrick’s Day, Earth Day, Halloween, Thanksgiving e 100 Days of School.

Para a professora Silvana Baú, gestora do ensino bilíngue do Colégio Positivo – Jardim Ambiental, existem aspectos culturais e conhecimentos específicos que cada país possui e é muito importante trabalhar esses conteúdos durante o processo de bilinguismo.

100 Days of School

A comemoração do centésimo dia letivo, mais conhecido como “100th Day of School” é um momento bastante esperado pelos alunos do ensino bilíngue. A gestora Silvana Baú explica que, na forma literal, esse dia representa muito mais do que uma simples contagem. “O centésimo dia traz uma oportunidade especial de reflexão e representa um enorme passo nas conquistas acadêmicas dos alunos”.

Nesse sentido, os professores têm a missão de mostrar e incentivar os alunos na contagem, que se inicia ao início do ano e, dia após dia, os alunos registram, empolgados, os dias que se passaram. “A grande celebração acontece após o retorno das férias de inverno e é sempre marcada por uma grande festa. Os alunos vestem camisetas que confeccionaram em casa com a família e que, de forma muito criativa, representam o número 100”, complementa.

Em sala, o 100 Days Of School é trabalhado de diversas formas. “Nos anos iniciais, o desenvolvimento de ideias matemáticas básicas é muito importante. Assim, a celebração e todo o processo é uma ótima oportunidade para explorar o conteúdo de forma lúdica e divertida. Os alunos podem cantar, se movimentar e dançar com as diversas música relacionadas ao tema”, complementa a professora.